ONU libera US$100 mi para operações humanitárias em 9 países

Em Diffa, no Níger, família deslocada de Malam Fatouri, Nigéria, pelo Boko Haram se abriga em campo de refugiados em agosto de 2016. Foto: UNICEF/Sam Phelps

Em Diffa, no Níger, família deslocada de Malam Fatouri, Nigéria, pelo Boko Haram se abriga em campo de refugiados em agosto de 2016. Foto: UNICEF/Sam Phelps

O secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou na segunda-feira (30) que o Fundo Central de Resposta de Emergência (CERF, na sigla em inglês) liberou 100 milhões de dólares para apoiar operações humanitárias em nove países com crises negligenciadas no mundo.

A ideia é ajudar mais de 6 milhões de pessoas de Camarões, Coreia do Norte, Líbia, Madagascar, Mali, Níger, Nigéria, Somália e Uganda.

“O CERF é um recurso essencial para pessoas que vivem em países em crises que acabam não saindo nas manchetes dos jornais. Mas, nessas nações, a ajuda é necessária com urgência”, disse Guterres em um comunicado à imprensa .

“Esse financiamento é crucial para que a ONU e os parceiros possam continuar a ajudar as pessoas que precisam de nossa assistência desesperadamente”, acrescentou.

Boa parte dos 100 milhões de dólares vai para pessoas afetadas por deslocamentos. Segundo a ONU, trata-se de um dos grandes desafios humanitários da atualidade, já que mais de 65 milhões de pessoas abandonaram suas casas.

O financiamento garantirá que milhões de pessoas que fugiram da violência e do conflito relacionados ao Boko Haram na Nigéria, no Níger e nos Camarões recebam cuidados de saúde, assistência alimentar e abrigo.

Além disso, vai trazer alívio para as pessoas deslocadas internamente, bem como refugiados de países vizinhos na Somália, Uganda e Líbia.

Um apoio urgente igualmente chegará aos que sofrem de desnutrição e insegurança alimentar em Madagascar, Mali e Coreia do Norte.

“O CERF é uma das formas mais rápidas de fornecer ajuda urgente. A parcela aprovada hoje salvará vidas em todos os nove países”, destacou o subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, Stephen O’Brien.

As Nações Unidas lembram que a Assembleia Geral apoia a ideia de se dobrar o balanço anual do CERF para 1 bilhão de dólares até 2018. O dinheiro é vital para alcançar as populações de países em crise.